Michael McArthur e sua belíssima canção “Elaine”

by Michael Flores

As plataformas digitais estão quebrando paradigmas envolvendo a música, não só o modo em que as canções são distribuídas, mas também o alcance em que diversos artistas conquistam o seu espaço, principalmente os músicos independentes, dos mais diversos segmentos. Os algorítimos ainda privilegiam os artistas de grandes gravadoras e selos mundiais,mas com um marketing assertivo, provavelmente muitas bandas podem alçar um determinado nicho por meio de estratégias segmentadas. Um dos artistas que conheci via Instagram  foi Michael McArthur, logo fiquei encantado com o vocal e a bela canção “Elaine” totalmente dentro do universo folk.

Para mim, a mídia social é apenas uma ferramenta usada para se conectar com as pessoas. A beleza disso é que alguém no Brasil pode ouvir uma música que escrevi sem que eu estivesse lá. Isso é especial. Mas, no que diz respeito ao desenvolvimento da arte, não faz nada por isso. Talvez isso faça algo para o desenvolvimento do entretenimento, mas não da arte.

Encantado com o álbum “Ever Green, Ever Rain” convidei o Michael para uma entrevista ao blog;

  • Quando você decidiu que queria ser músico? O que fez você se decidir sobre isso?

Michael McArthur:Meu avô me comprou minha primeira guitarra aos 15 anos. Comecei a escrever músicas pouco tempo depois.. Eu tinha muito medo de palco, então evitei fazer da música uma carreira por um bom tempo. Um ano, me deparei com uma citação de Mark Twain. Aquele que diz: “Daqui a 20 anos você não vai se arrepender das coisas que fez, vai se arrepender das coisas que não fez”. Isso bateu como um soco. Eu não voltei desde então. Demorou um pouco para superar a coisa assustadora do palco, mas eu finalmente consegui.

  • Quais países  sua música faz mais sucesso no spotify?

Michael McArthur: Estados Unidos, México, Canada, Itália, Inglaterra, Austrália e claro Brasil.

  •  “Elaine é uma das melhores canções que ouvi este ano”. Como foi o processo de composição e inspiração para a música?

Michael McArthur: Quanta gentileza. Obrigado. Meu pensamento é: se você tiver a sorte de ter uma audiência, seja de um ou um milhão, é melhor ter algo a dizer que vale a pena ouvir. Então, para mim, se as letras não estão onde deveriam estar, a música também não. “Elaine” é sobre amar a si mesmo. Todos nós podemos usar esse lembrete de tempos em tempos.

  • Pop, folk, indie. Como você descreveria sua música?

Michael McArthur: Bem, eu imagino Americana. Abrange vários estilos sonoros (folk, soul, rock, etc.)

  • Você pretende se apresentar no Brasil no futuro?

Michael McArthur: Seria divertido, não é? Um dia desses, prometo que o farei.

  • Qual artista você está interessado em gravar uma música de apresentação?

Michael McArthur: Essa lista fica muito rápida, The Highwomen. Se você não conhecer, procure…

 

  •  Quais artistas você  tem mais ouvido recentemente?

Michael McArthur: Estou ouvindo o novo álbum de Tanya Tucker enquanto digito. Também ouvi Tom Waits, Bon Iver, Dawes e The Raconteurs.

  • Conte-nos mais sobre o difícil processo envolvido na gravação de Ever Green, Ever Rain?

Michael McArthur: Gravamos o álbum ao vivo como uma banda em menos de uma semana no United Recording on Sunset Blvd em Hollywood, CA. Em 2019, essa é uma maneira não convencional de gravar, mas quando as pessoas certas estão na sala, isso funciona. Não é fácil, mas é simples.

  •  Qual é a sua música favorita de Ever Green, Ever Rain?

Michael McArthur: Ah, eu não sei! Isso é difícil. Eu imagino que é assim que escolher uma criança favorita. Todo pai tem um, mas não o admite.

  • Quais são seus sonhos em sua carreira musical?

Michael McArthur: Para escrever músicas e gravá-las. Para viajar e tocar. Para que esses registros paguem por si mesmos e pelos que vierem depois. E sobrar o suficiente no final de cada dia para comer.

  • Muitas pessoas conheceram seu trabalho via Instagram. Como você interpreta o uso das redes sociais para o desenvolvimento do trabalho musical dos artistas?

Michael McArthur: Para mim, a mídia social é apenas uma ferramenta usada para se conectar com as pessoas. A beleza disso é que alguém no Brasil pode ouvir uma música que escrevi sem que eu estivesse lá. Isso é especial. Mas, no que diz respeito ao desenvolvimento da arte, não faz nada por isso. Talvez isso faça algo para o desenvolvimento do entretenimento, mas não da arte.

  •  Você pode me contar sobre seus próximos projetos?

Michael McArthur: Agora estarei em turnê e compondo. Eventualmente, fazendo outro álbum. E assim até a minha voz parar. Talvez o Brasil em breve…

por gabriel