Resenha: A Máscara – Fernando Barral

A Máscara por [Fernando Barral]

Nome: A Máscara

Autor: Fernando Barral

Independente

Onde comprarAmazon

Sinopse: A vida, meu bom, é parcial, segmentada, pessoal. Dela se extrai a pureza e a sordidez com facilidades semelhantes. A balança sempre pende para um lado, e nesse caso, juízo, sorte e discernimento são um cardápio necessário. Às vezes a vida te escolhe. Às vezes, ela só te engole. E às vezes te cospe fora.» Moraes e Tom percorrem um corredor com treze portas. Cada porta revela possibilidades e permite-lhes uma viagem ao seu universo interior, dissecando sobre o ser humano, as relações e a sociedade, através de uma narrativa profundamente marcada pelo drama e pelo desassossego.

Nota:

Minha opinião: E o autor de Ar Sujo retorna com obra ainda mais filosófica com protagonistas assertivos e envolventes em ambientação que questiona o homem e a sociedade. Morte, vida, pecados, escolhas, valores, política tudo isso e mais um pouco se enlaça nos capítulos denominados de portas que são o objeto central para a história.

“Para mim, todo corredor remete a passagem. E, como eu tenho dito toda passagem é sagrada” 

Os personagens atravessam passagens em portas em que se deparam com lugares, situações que os fazem refletir sobre a vida.

 

“O bem e o mal são algo de estrondosa ressonância” 

Os personagens de “A Máscara”  são irmãos de características distintas, mas unidos e com suas vulnerabilidades a flor da pele. Pontos sociais e políticos são os destaques da obra que são inseridos com naturalidade com as temáticas do cotidiano. Apesar de ser clara a impossibilidade da dissonâncias dos assuntos.

por gabriel